PriscilaMonteiro
Piscóloga CRP: 05/40740
Psicologia - Qualidade de vida
 
   
 
ANSIEDADE – UM MAL PRESENTE

 

Uma pesquisa estimou que 23% da população brasileira desenvolverão algum distúrbio ansioso no decorrer da vida.

A vida do século 21 é atribulada, corrida e competitiva, vivemos numa época estressante, estamos sempre tentando nos dividir em 2 ou 3 para podermos concretizar todas as atribuições que cercam nossa vida pessoal, profissional, familiar.

Atualmente uma edição de domingo de um jornal impresso tem mais informação do que alguém do século 17 receberia em toda sua vida, ou seja, somos bombardeados por informação todos os dias relacionadas a desgraças, perigos e violência. Além disto, vivemos na época da “escolha”, este conceito atual de liberdade pode acarretar muita ansiedade.  Foi calculado que nos EUA um empregado passará por até 14 empregos diferentes antes dos 40 anos e o número do divórcio cresceu13 vezes em 30 anos, enquanto que algumas décadas atrás o emprego e casamento era um para a vida toda.

Mas calma, a ansiedade faz parte da vida do ser humano, foi necessário para a nossa evolução, nos períodos dos homens das cavernas, o mais ansioso era o que tinha mais chance de sobreviver e deixar seus descendentes, já que a ansiedade nos deixa em estado de alerta e sobressalto. Porém é importante diferenciar uma ansiedade “normal” como a que sentimos diante de uma entrevista de emprego ou do rapaz ao chamar uma garota para sair de um transtorno ansioso patológico. A ansiedade nos deixa em estado de alarme, sobre uma possível situação de perigo, funcionando como um mecanismo de defesa.
Como dito por Aubrey Lewis, ansiedade pode ser descrito como “um estado emocional com a qualidade do medo, desagradável, dirigido para o futuro, desproporcional e com desconforto subjetivo”.

Alguns dos sintomas podem ser; sentimento desagradável de apreensão, sensação de angústia, nervosismo, preocupação e até irritação, pode ocorrer dificuldade para dormir, de concentração, fadiga,além de sintomas físicos como falta de ar, sensação de desmaio, palpitações, sudorese, mãos frias, boca seca, tensão muscular, sensação de nó na garganta, tontura, vômito, sensação de impotência, sentir necessidade de urinar ou defecar.

A ansiedade torna-se patológica quando exacerbada, tendo duração e intensidade maior do que a situação geraria, paralisando a pessoa diante da situação ansiogênica, invés de estimular a enfrenta - lá, causando prejuízos na vida do individuo, podendo até acarretar ataques de pânico.

A ansiedade anormal pode se tornar um distúrbio ansioso como: Transtorno do Pânico, Transtorno de Ansiedade Generalizada, Fobias, Transtorno de estresse Pós-Traumático e Transtorno Obsessivo Compulsivo.
Por isto é importante a busca de um tratamento psicológico, pois todas têm tratamento, onde poderá fazer uma mudança cognitiva e aprender a lidar com a ansiedade.